Arquivo | Uncategorized RSS feed for this section

sobre bicicletas

25 ago

 Eu sumi. Passei por uma fase meio nebulosa, de dúvidas e decisões e precisei tirar um tempo pra pensar. Mas estou de volta ! Tcharam !

Na verdade, eu já estava ensaiando um retorno, havia algumas semanas. Hoje, me arrumando para vir ao trabalho, ouvindo o jornal matinal, uma reportagem me chamou atenção, e eu além de ouvir, comecei a ver também.

A reportagem é essa aqui.

No tempo de 1 minuto e 44 segundos, a repórter pergunta pra um motorista de ônibus o que mais incomoda no trânsito, e o lindão responde: “Os ciclistas, porque eles andam no meio do trânsito, querendo competir com os carros”.

Eu responderia: “O que mais me incomoda são os ônibus, porque eles são grandes e por isso pensam que tem preferência em tudo”.

Isso me fez pensar que o trânsito de SP, virou uma zona de conflito. Nesse tempo que eu fiquei sumida, minha mãe me deu uma bicicleta. Sim, minha mãe. E eu, com 25 anos de idade, fiquei tão feliz, mas tão feliz, que acho que ela não podia ter me dado presente melhor. Pois bem, levei super a sério, comprei todos os equipamentos de segurança, que são exigidos pelo CONTRAM: capacete, luz dianteira, traseira, espelho retrovisor, e campainha (preciso confessar que a minha cometeu suicídio e pulou da bike durante um passeio).

No Código de Trânsito Brasileiro, no capítulo 3 tem lá um artigo que diz que, em caso de não existir ciclofaixa, ciclovia, nós ciclistas podemos andar no bordo da faixa de rolamento. E ainda temos a segurança, de que os carros devem manter uma distância de 1,5 m de um ciclista. Ok, ninguém anda com uma trena na janela do carro, mas bom senso, espera-se que todo mundo tenha, não ?

Mas infelizmente, não é o que acontece na prática. Eu sei que existem milhões de textos pela internet afora falando a mesma coisa. Mas foi a primeira vez que eu senti na pele, sabe ? Na semana passada, eu fui fazer um pedal com um novo amigo, ciclista experiente, e andamos na faixa de rolamento da Avenida Paulista. Os motoristas de carros xingam, buzinam, pra não falar dos ônibus que jogam em cima, e não estão nem aí. Eu tive coragem pra isso, mas foi a primeira e a única vez.

Bom senso e educação não fazem mal a ninguém, e sim, nós ciclistas devemos respeitar os outros modos de transporte, e assim esperamos que todos nos respeitem também, por um trânsito mais educado e humano. Mas enquanto o trânsito for essa guerra, eu prefiro a minha vida, e pedalar apenas em horários e ruas menos movimentadas.

Esse texto acabou fugindo um pouco do objetivo do blog, mas era algo que estava me incomodando e eu precisava falar !

 

Beijos !

Anúncios

Na caneca

1 jun

Domingo, friozinho, eu louca por um docinho. Na hora lembrei de um e-mail que a minha mãe me mandou, há um bom tempo atrás, recheado de receitas de bolo de caneca. Mais que na hora mandei o namorado pro supermercado comprar o que faltava e voilá!

A receita diz pra fazer em uma caneca com capacidade de 300 ml. Eu fiz numa de 400 ml, porém, na receita diz um ovo pequeno. Mas poxa, na minha bandejinha só tinha ovos tamanho médio. Resultado, o bolinho saiu tudo pra fora. Ficou bom mesmo assim, deu pra desenformar e ficou uma delícia. Mas não tem fotos, me recuso a colocar a foto do bolo vulcão !

 

 

Segue os ingredientes:

  • 1 ovo pequeno
  • 4 colheres (sopa) de leite
  • 3 colheres (sopa) de óleo (eu coloquei 2 e 1/2)
  • 2 colheres (sopa) rasas de chocolate em pó
  • 4 colheres (sopa) rasas de farinha de trigo
  • 4 colheres (sopa) rasas de açúcar
  • 1 colher (café) rasa de fermento em pó

E ainda por minha conta e risco eu coloquei meia tampinha de essência de baunilha.

Pra fazer é muito simples, coloca o ovo na caneca, bate com um garfo. Depois coloca o leite, o óleo e o chocolate, dá mais uma mexidinha, deixando a farinha e o fermento por último. Ai é só colocar 3 minutos no microondas (no meu eu coloquei 3 minutos e meio, mas vai de microoondas, né?!)

E a cobertura eu dei uma adaptada

  • 2 colheres (sopa) de chocolate em pó
  • 1 colher (sopa) cheia de açucar
  • 1 colher (sopa) de margarina
  • 1 colher de copa de leite.

Mistura tudo e coloca 30 segundos no microondas (no meu eu coloquei 45 segundos! )

E ai pronto, só se jogar no chocolate. Eu e namorado comemos com sorvete e ficou aprovadíssimo!

Foto: daqui.

Beijos

Um sorriso na porta

30 maio

Acho esses capachos divertidos o maior barato. Levanta o astral de todo mundo. Quando você recebe uma visita, abre a porta, e a pessoa já está sorrindo. Eu tenho um desses, e quando me mudei pro prédio, fiquei conhecida como a “vizinha do Paraíso”. =)

 

capacho_(8)

capacho_(14)

Da Imaginarium

balana_capacho

Esse deve ser o terror da mulherada. Dá pra comprar aqui

MLHA26_0401_001R_80315_large

Pra dar um up no astral. Da H&M Home

capacho-voce-esta-aqui

Pra quem curte um GPS. Daqui.

slide-to-unlock-84333-320-280_large

Pra galera fã da Apple. Daqui.

tumblr_lfgdhi3LnT1qa27vxo1_400_large

Come in – Go away. Daqui.

tumblr_lkr6emk3j71qeqbx8o1_500_large

Pras visitas indesejáveis. Na Amazon tem.

 

E ai, quais desses vocês teriam em casa ?

Beijos.

Arteiro: Rafael Calixto

27 maio

Eu adoro arte urbana. Vou usar essa tag pra mostrar um pouquinho do trabalho dos meus amigos arteiros. E o primeiro da série, não poderia ser outro além dele, que além de um ótimo amigo (salvador-pintor da parede vermelha da minha casa), é um ótimo artista.

 

Desilusão

 

Essa tela que o Rafael pintou, hoje é minha, divido minha casinha com ela. Foi paixão a primeira vista. Tudo me fascina, a cor, os traços, todos os detalhes e claro toda a sensibilidade que ela transmite. Ela se chama Desilusão, e foi inspirada em uma das minhas músicas prediletas de Vinicius de Morais: Canto de Ossanha.

Há pessoas que insistem dizer que é triste, mas ouvi por ai, que ele sorri por dentro. A cada dia descubro um detalhe novo nele, ou uma interpretação de acordo com os momentos da minha vida. Acho que essa é a graça de se ter um quadro em casa.

 

Turista

 

Tela

 

Henry Ford

 

E pra quem gostou, aproveita e dá uma fuçadinha no flickr do Rafael, que além de telas e grafittis, ele faz instalações ótimas reaproveitando sucatas.

Em tempo: Essa versão do Jurassic 5 para Canto de Ossanha é perfeita pra uma sexta fria como essa.

 

Não é muito legal?!

Beijos, e um ótimo final de semana

Comidinha (de) leve

26 maio

Eu aprendi a cozinhar relativamente há pouco tempo. Nunca fui dessas meninas que a mãe ensina a cozinhar e a cuidar da casa. Quando morava com meus pais, me virava com um miojo, um hambúrguer ou um misto quente.

Só depois, quando vim pra São Paulo dividir apartamento com outras 4 meninas é que comecei a me virar na cozinha. No começo foi uma tragédia. Arroz eu não conseguia fazer certo de jeito nenhum, era um tal de arroz duro, arroz papa, arroz sem sal, arroz com gosto de remédio (não me perguntem como consegui essa proeza, só sei que consegui). Peguei trauma e passei tempos longe da cozinha.

Um dia tomei coragem de novo, e resolvi tentar, e não é que ficou bom ? Meu irmão até veio passar uns dias comigo, e minha mãe me contou que ele chegou elogiando minha comida, que era pra ela fazer igual ! Imagine… a comida dela é milhões de vezes melhor que a minha. Rola aquele tempero, sabe ? Amor de mãe!

E foi ai que eu descobri que quando a gente cozinha, se não for com amor, não fica bom de jeito nenhum. As vezes eu tento fazer algo despretensioso e fica maravilhoso, outras faço algo super elaborado e fica horrível, tudo varia de acordo com minha inspiração e humor do dia.

Adoro cozinhar coisas diferentes, sempre pego várias receitas de um determinado prato, e faço uma mistureba de receitas. Assim crio as minhas. A salada de hoje, eu aprendi com uma amiga, que a trouxe para uma festa de réveillon aqui em casa. Mas claro com meu toque.

Salada de Pêra e Gorgonzola

1 pé de alface crespa

1 pêra madura

½ limão (eu recomendo o cravo, que fica uma delícia, mas pode ser do verdinho mesmo)

Queijo gorgonzola a vontade (eu sempre uso uns ¾ de uma peça daquelas que a gente acha no mercado de 250 g)

Azeite a vontade

Pra fazer é mega simples, primeiro corte a pêra em cubinhos, com a casca mesmo, e coloca numa tigelinha, espreme o meio limão em cima dela, e deixa lá. O alface eu costumo cortar ele em tiras, acho que fica mais fácil na hora de comer, e o gorgonzola corto bem pequeninho, ele vai esfarelando, mas a idéia é essa mesmo. Ai numa saladeira, coloque o alface o queijo e regue com azeite a vontade, ai você junta a pêra e mistura tudo. Eu não costumo colocar sal, pq eu já acho o gorgonzola salgado suficiente pro meu gosto, mas ai fica do seu.

Super simples, e fica uma delícia !

Foto: Thiago Antonovas

Beijos

O Começo

25 maio

Já pensei muitas vezes em fazer um blog, porém me faltava “aquela” vontade, e tempo. Já tentei alguns, mas que nunca saíram do segundo ou terceiro post.

Propus esse desafio a mim mesma, de escever, cultivar, alimentar meu blog novo. Claro que se não fosse o empurrãozinho dos meus amigos queridos, isso nunca sairia do projeto.

Aqui vou falar sobre coisas do meu cotidiano, minhas comidas, minhas aventuras e algumas coisas bonitas que eu vejo por ai.

Beijos.